Conhecer a região de Champagne sempre esteve nos nossos planos, eu já tinha visto muitas fotos, lido inúmeras matérias, porém só nos faltava oportunidade! Então em março de 2017 fomos esquiar na Áustria e decidimos dar uma esticada em Paris, de lá seguimos para a região de Champagne.

igreja reims

Algumas coisas sempre estiveram na minha cabeça, a primeira delas era me hospedar em um castelo, a final não teria nenhum lugar melhor do que lá para fazer isso, por isso nós decidimos ficar hospedados no Les Crayeres, um lindo Castelo que fica dentro de um jardim enorme! Ficamos encantados pelo hotel, a decoração e obviamente a gastronomia. Dentro do Les Crayeres eles tem um restaurante duas estrelas Michelin. Para se hospedar na região a gente sugere a cidade de Reims, a capital da Champagne e além da cidade ser linda, é lá onde ficam as grandes Maisons, e é um ponto central para visitar as cidades ao redor.

Hotel les crayeres reims-3

Antes de ir para a Champagne eu tinha algumas ideias na minha cabeça, eu tinha certeza que faria inúmeras degustações por dia e que comeríamos muito bem. A parte da comida foi cumprida com êxito, porém as degustações não são assim tão fáceis de conseguir. Claro que nas Maisons mais turísticas, digamos assim, como Veuve Clicquot e Moet Chandon a visita é um pouco mais fácil, quando feito a reserva antecipada pelo site, mas nos pequenos produtores essas visitas são quase impossíveis.

Nós tivemos a sorte de ter a companhia da Marina da loja Divino Paris em Champagne conosco, então ela nos levou para fazer degustação pequenos e médios produtores que foram inesquecíveis. Como essas visitas são mais difíceis de conseguir, sugiro você provar esses Champagnes nos restaurantes.

Aqui vão os produtores que conhecemos:

  • La Closerie: Essa foi a nossa primeira parada em Champagne, o Jerome produz os seus Champagnes manualmente e em pequena quantidade! A qualidade do seu produto é excepcional. É possível fazer uma visita, porém precisa mandar um email com antecedência.La closerie
    la cloiserie
  • David Leclapart – Esse é um dos Champagnes que eu mais amo no mundo! A primeira vez que tomei foi na casa do nosso amigo João Ferraz, depois tentei achar em NYC e nada, foi então que tivemos a grande honra de ir até a casa do David para provar os seus rótulos mais especiais e conhecer parte da sua plantação de uva. O seu Champagne é Biodinâmico e Natural e a produção é bem pequena, por isso é tão difícil de encontrar! Na nossa visita à plantação foi impressionante ver como o solo onde ele produz a sua uva é fofo, tem vida, é verde, enquanto o solo ao lado é duro, seco, veja na foto!
Com o David Leclapart

Com o David Leclapart

O solo verde do David

O solo verde do David

  • Domaine Jacques Selosse: O Selosse é considerado um dos melhores produtores de Champagne do Mundo, nós fomos almoçar no restaurante que fica ao lado de sua produção e tivemos a sorte de encontra-lo por lá e poder fazer uma degustação de 5 rótulos. O Selosse começou a sua história em 1980 quando ganhou as terras que eram do seu pai e depois de ter estudado na Borgonha queria fazer algo diferente, ele então tirou todos os agrotóxicos da terra e passou a produzir uvas sem nenhum agrotóxico, e com isso, devido aos seus estudos, criou um dos melhores champagnes do mundo.
  • Ruinart: Nós não poderíamos ir à Champagne e não visitar uma das grandes Maisons, essa experiência que tivemos de ir aos pequenos produtores e a uma Maison como esta foi incrível. A Ruinart foi fundada em 1729, mas apenas em 1929 o seu Champagne foi comercializado. Nós visitamos primeiro a cave subterrânea que tem 8 km de extensão e fica a 40mt em baixo da terra. Depois degustamos 4 rótulos, a Ruinart blanc de Blancs, Dom Ruinart Blanc de Blancs 2006, Ruinart Rosé e a Dom Ruinart Rosé 2004. A Maison está aberta para visitação e o tour custa 70 euros por pessoa.

Minha grande dica e a melhor forma de fazer a degustação de Champagne é sem dúvida nos grandes restaurante

Restaurantes:

  • Les Avisés
  • Le Parc: Este restaurante tem duas estrelas no Guia Michelin e fica dentro do hotel onde estávamos hospedados o Les Crayeres, o serviço deles é realmente impecável e o salão parece que você está em um Museu de tão lindo. O menu de Champagne praticamente não tem fim e o somelier da casa é um dos mais premiados da região! Não deixe de fazer uma reserva.soufle le parc
  • L’assiette Champenoise: Essa foi sem dúvida um dos jantares mais especiais da nossa vida,  o restaurante tem três estrelas no Guia Michelin. Nós escolhemos fazer o menu degustação com harmonização de Champagne, e foi experiência inacreditável! Primeiro porque o somelier abriu para nós algumas Champagnes super raras e especiais e depois a comida estava impecável do começo ao fim. O nosso próximo post será sobre o restaurante.
  • Epicerie Au Bon Manger: Se está em busca de um lugar perfeito em Reims para beliscar e tomar inúmeros rótulos de Champagne artesanal e de pequenos produtores esse é o lugar!! A dona do Au Bon Manger seleciona apenas ingredientes fenomenais para servir aos seus clientes e os produtores de Champagne idem!! Vale muito a pena passar uma tarde por lá.les avise

O que fazer na região? 

Visitar pelo menos uma Maison, para conhecer as caves subterrâneas quilométricas.

Côte des Blancs Champagne Route – Fazer essa rota de carro, são 100 km em uma estrada linda e que passa por diversos castelos e maisons

Épernay – Andar de carro pela região da Champagne é um dos melhores passeios, as estradas são lindas e as cidades parecem saidas de um filme. Épernay é uma dessas cidades que vale a pena a visita, ou usar como base na sua estadia.

epernay

Catedral de Reims – Essa foi uma das igrejas mais lindas que já vimos por fora, ao chegar na praça não tem como não se emocionar com a riqueza de detalhes da Catedral.

igreja reims