A noite de sábado no Dalva e Dito acaba assim, Galinhada + Samba. Para as pessoas que falam que não vão ao Dalva e Dito no sabadão à meia-noite em ponto para comer uma incrível galinhada, por ser uma comida pesada, não sabem o que estão perdendo. Se pararmos para pensar uma galinha à meia-noite é realmente um pouco pesada para o horário, mas no Dalva e Dito a proposta é se deliciar com este prato delicioso e depois descer para o subsolo e se acabar no samba, que por sinal é incrível. O grupo que estava tocando na noite que fomos ao restaurante era muito bom eles tocaram todos as músicas clássicas do samba colocando todos para dançar e cantar até de madrugada!!
A galinhada sai por R$59,00 por pessoa.

Imagem:reprodução

Imagem:reprodução
Chegue um pouco antes da meia noite para garantir o seu lugar na fila, pois no restaurante só cabem 80 pessoas.


Ficamos encantados por este jardim suspenso de samambaias no salão anexo.



Os sambistas começam a tocar a meia-noite no salão principal, para dar aquela animada e depois eles descem para o subsolo para continuar a festa.




A famosa televisão para cachorros, onde são feitos os famosos frangos do restaurante.


O clima do restaurante após a meia noite é bem descontraído, com copos de plásticos e o buffet da galinhada montado dentro da cozinha para que os clientes possam se servir a vontade!!



A fila é grandinha, mas como os sambistas ficam tocando no salão principal ela passa bem rápido.


Eu experimentei o arroz e a farofa feitos com pequi, uma delícia, nunca provei nada parecido.



Já o Zé se acabou no quiabo, feito do seu jeito preferido com bastante “baba”. Ao lado tinha um panelão de pirão para deixar qualquer um doido!! A combinação de farofa mais pirão e o molho da galinhada foi perfeita.



A galinhada tem direito a todas as partes, cabe a você escolher o que mais te agrada, eu fui bem tradicional e peguei uma modesta asinha e a coxa, que achei muito bem temperada e para partir só precisava do garfo, pois ela desmanchava. O Zé comeu a galinha frita, que fica com a casquinha bem crocante.



Eu entrei no clima do sambão, copos de plásticos e jogos americanos de papel e até arrisquei comer umas asinhas com a mão, tem coisa mais gostosa e prática? Todos estavam fazendo a mesma coisa.



Pedimos para compartilhar um delicioso doce de abobora em pedaços com bastante coco ralado por cima. O único problema é que o doce era muito bom, mas era bem pequena, nos deixando com um gostinho de quero mais.


O Zé fechou a noite com uma cachaça deliciosa chamada Musa, que tem um aroma e sabor incrível de banana, vale a pena experimentar!

Momento Tietes!! O Zé e eu com o Alex Atala!!
São Paulo – SP
End: Rua Peix
oto Gomide 1115
Tel: 3068-4444